Get Adobe Flash player

Canoa de Tolda: o símbolo do Velho Chico como obra de arte

Entregue aos vencedores das mostras competitivas do Circuito Penedo de Cinema, troféu é uma peça exclusiva inspirada na embarcação mais singular do Rio São Francisco

Texto de Natália Oliveira

fredyinterna

Toda a história da canoa foi objeto de estudo e pesquisa do alagoano Fredy Correia (Foto: Paulo Accioly)

Desde o início do Circuito Penedo de Cinema, no dia 29 de novembro, o público das mostras competitivas brasileira e universitária se deparou com dois personagens expostos logo na entrada da Sala de Exibições, na Praça 12 de Abril: os troféus Canoa de Tolda. Muitos, no entanto, desconhecem esse importante símbolo do Rio São Francisco.

A Canoa de Tolda é uma embarcação herdada da colonização holandesa no Nordeste, responsável pelo transporte de mercadorias e cargas entre o Alto e o Baixo São Francisco, região esta da qual Penedo faz parte. Movida pela força do vento, a embarcação é composta por duas velas, tábua de bolina, moitão e a tolda, que servia para abrigar alimentos.

A canoa Luzitânia, uma das mais antigas canoas de tolda, foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 2008, pode ser vista no município de Brejo Novo, em Sergipe. Ela é um dos três exemplares da canoa de tolda em todo o mundo.

Toda a história da canoa foi objeto de estudo e pesquisa do alagoano Fredy Correia, artista responsável pela criação do troféu do Circuito, desde o início em 2011, quando era somente o Festival de Cinema Universitário de Alagoas.

Entre 1975 e 1982, época das oito primeiras edições do Festival do Cinema Brasileiro, o troféu era o Barco de Ouro. “Ele era de madeira, imenso, pesado e não apresentava nenhuma característica de um barco nativo da região do rio São Francisco. Então, passamos a estudar uma maneira de fazer um objeto que representasse melhor o festival de cinema, mas também sobre a história da cidade. Foi quando fizemos a canoa de tolda”, explica o artista.

Hoje, são dois modelos de troféu criado exclusivamente para o evento: um para os vencedores da Mostra Brasileira e outro para os da Mostra Universitária. O primeiro, com a base de granito preto, é feito com chapas de latão soldadas e pintado de dourado. “A escolha da base de granito preto é devido à importância que o troféu traz, então ele é mais formal e imponente”, destaca.

O segundo tem a base feita com resina transparente, enquanto a canoa é confeccionada com chapas de aço inox soldadas. “A base em resina transparente é uma alusão à água e deixa o troféu ainda mais leve”, pontua Fredy.

E daqui a pouco, a partir das 21h, os vencedores serão contemplados com os referidos troféus. Por isso, acompanhe o Circuito Penedo de Cinema nas redes sociais e fique por dentro do que acontece no evento. Estamos no Instagram e também no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *