Get Adobe Flash player

ROTEIROS TURÍSTICOS

ROTEIRO PAISAGENS URBANAS

Traçado Urbano

Entre ruas irregulares e calçadas em pedras, o traçado urbanístico de Penedo é um relevante registro da presença holandesa na região; permanecendo, até os dias atuais, com o seu desenho original onde foram organizados, por determinação do Conde Maurício de Nassau (1604-1679), os serviços públicos essenciais. Erudito e com visões humanistas, Nassau reunia em seu grupo teólogos, pintores, arquitetos e médicos, entre outros profissionais das ciências e das artes com o intuito de modernizar a cidade.

Templos e Conventos

jonathan-lins-1-1280x853

Foto: Jonathan Lins

Catedral Nossa Senhora do Rosário – Igreja Matriz: situada na Praça Barão de Penedo, teve sua construção iniciada em 1690, sendo concluída no início do século XIX. Destaca-se pelo frontispício, entre as duas torres, decorado por vitrais franceses. Em seu interior, possui arcos em estilo romano e tumbas greco-romanas. Seu trabalho em cantaria é considerado um dos mais belos dentre as igrejas penedenses.
Igreja Nossa Senhora dos Anjos e Convento São Francisco: situados na Praça Rui Barbosa, este conjunto arquitetônico em estilo barroco, foi construído sobre as ruínas do antigo Forte Nassau pelos missionários franciscanos durante os séculos XVII e XVIII. É considerado um dos mais antigos do Brasil. Com pinturas em ouro, destaca-se, também, pela coroa portuguesa situada em cima da nave principal.

Igreja Nossa Senhora da Corrente: localizada na Praça 12 de Abril, é considerada uma das edificações barrocas mais belas do país. O início de sua construção data de 1764, sendo concluída na última década do século XVIII. Inicialmente pertenceu à Família Lemos, que, na época do movimento abolicionista, fora protetora de escravos perseguidos. Em seu interior encontram-se esconderijos, o altar-mor adornado com folhas de ouro e raras imagens sacras.  O nome da santa é motivo de controvérsias, uma vez que não consta no calendário litúrgico; por alguns é atribuído à correnteza do rio, tendo-se originado à evocação de antigos pescadores.
Igreja de São Gonçalo Garcia dos Homens Pardos: apresenta um conjunto de imagens em tamanho natural que representam os passos da Paixão de Cristo. Foi construída entre os anos de 1758 e 1770, sobre as ruínas de uma antiga capela dedicada a este santo. Suas torres campanário, do final do século XIX, possuem estilo neogótico.
Igreja de Nossa Senhora dos Pobres: está localizada no bairro Cajueiro Grande, na Praça Clementino dos Montes, onde se encontra a “Cruz de Pedra”, em estilo bizantino, um marco da vitória portuguesa contra dos holandeses em 1645.
Igreja da Senhora do Rosário dos Homens Pretos: templo iniciado em 1790, nele pode-se encontrar belas imagens sacras de cor negra. Possui um estilo arquitetônico que mistura barroco e neoclássico.

Museus

 

aposentadoria

Foto: Egberto Araújo

Casa de Aposentadoria: é considerado o primeiro prédio oficial construído em Alagoas. Em princípio fora uma cadeia que data de 1636 e sobre esta foi construída a Casa da Câmara.  A Casa da Aposentadoria foi iniciada em 1781 e concluída em 1782, por determinação do Ouvidor José de Mendonça de Mattos Moreira. Está localizada na Praça Barão de Penedo, Paço Municipal, e atualmente abriga o Centro de Informações Turísticas da Prefeitura de Penedo.

 

 


Casa do Penedo: data de 1811. Foi um local de hospedagem de diversos personagens ilustres do Brasil. Atualmente é um museu que abriga um diversificado acervo de documentos históricos sobre a cidade.


 

paco

Foto: Reprodução

Paço Imperial / Museu Imperial: sobrado situado na Praça Rui Barbosa. Serviu de residência para a família Lemos.  Local onde ficou hospedado o imperador D. Pedro II e sua comitiva, em 1859.  Possui edificações construídas a partir do século XVI e é símbolo da época áurea da cidade.

 

 


ruina-chale-dos-loureirosChalé dos Loureiros / Museu da Fundação do Baixo São Francisco (em andamento): a edificação data do final do século XIX e foi construída pelo engenheiro J.A. Loureiro, então responsável pela implantação do serviço de abastecimento de água na cidade. Em estilo eclético, o Chalé apresenta influência francesa e representa em sua época, um marco da vanguarda para o país. O atual museu, objetiva abrigar as histórias e atividades das populações ribeirinhas; além de fotos e artefatos de importância histórica. É o primeiro museu federal do país.

 


theatro

Foto: Egberto Araújo

Theatro Sete de Setembro: pertenceu à Sociedade Filarmônica Sete de Setembro e foi inaugurado em 1884, sendo o primeiro a ser construído no Estado de Alagoas. A planta é do arquiteto italiano Luís Lucariny. Constitui a sede da Imperial Sociedade Filarmônica Sete de Setembro, cujo título foi concedido pelo imperador D. Pedro II. Em sua fachada possui quatro estátuas de louça que representam as deusas da música, da poesia, da pintura e da dança. Está localizado na Av. Floriano Peixoto, nº 81.

 

 


039

Foto: Reprodução

 

 

Oratório da Forca: trata-se de um nicho situado na Praça Barão de Penedo.  O oratório é uma edificação em estilo colonial datada de 1769. Antigo local de orações dos escravos condenados, enquanto aguardavam a chegada do carrasco para a execução de sua morte.

 

 


Ruínas do Forte Maurício de Nassau: o forte fora erguido no contexto das invasões holandesas na cidade, por determinação do Conde Maurício de Nassau. Está situado na atual Rua das Rocheiras.

 

ROTEIRO PAISAGENS NATURAIS

 

paulo-accioly-5-1280x853

Foto: Paulo Accioly

Rio São Francisco: pôr-do-sol no Velho Chico e passeios lacustres até a foz do rio, chamado pelos índios de Opará (Rio Grande ou Rio Mar). Possui, em suas margens, um marco histórico no Cais do Porto, obra inaugurada em 1905; contudo desde 1866 já constituíra um porto aberto ao tráfego internacional.

Mirante da Rocheira: localizado no prolongamento da Rua do Banheiro, com vistas para o Bairro do Barro Vermelho, atual Bairro Santo Antônio (início da povoação da Vila de Penedo) e Rio São Francisco.

 

APA da Marituba do Peixe: localizada na Várzea da Marituba, é uma reserva ecológica de uso sustentável, conhecida como ‘Pantanal Alagoano’, devido à ocorrência de enchentes anuais provocadas pelos rios da região.